3 Macacos

3 Macacos
O título do longa-metragem dramático dirigido na Turquia e também escrito por Nuri Bilge Ceylan corresponde aos Três Macacos Sábios, figuras do folclore japonês. Eles são Kikazaru (o que tapa os ouvidos), Mizaru (o que tapa os olhos) e Iwazaru (o que tapa a boca). Os três símios representam assim três ações como “não ouvir o mal”, “não ver o mal” e “não falar o mal”. Isto também é representado através dos três personagens centrais de “3 Macacos”, uma família composta por um casal e um filho.

Servet (Ercan Kesal), um homem prestes a se eleger em um cargo político, se envolve em uma morte, atropelando acidentalmente um indivíduo ao final da noite. Não querendo responder por esta situação, pois a placa do seu carro foi anotada por um casal que passou pela estrada um pouco depois do acidente, estabelece uma proposta ao seu motorista Eyüp (Yavuz Bingol), que não estava presente na circunstância que dá início ao filme, sendo o de responder por esta morte e ir preso em troca de muito dinheiro. Ele aceita e é a sua esposa Hacer (Hatice Aslan) e o seu filho Ismail (Rifat Sungar) os beneficiados.

Ao desenvolver essa premissa em seus primeiros trinta minutos, “3 Macacos” trata de nos mostrar as consequências dessa escolha e os estranhos segredos dessa família, que envolve uma tragédia do passado. Premiado em Cannes como melhor diretor, Nuri Bilge Ceylan desenvolve a partir deste ponto um filme que se comunica mais pela imagem do que pela palavra. Informado isso, há de se elogiar o trabalho singular de fotografia de Gökhan Tiryaki. As cores em tons escuros, que em momentos vem acompanhados de chuvas e trovoadas, é impactante. O texto, no entanto, parece deixar de existir. Havendo um equilíbrio maior entre a encenação e a narrativa, “3 Macacos” com toda certeza seria um trabalho com a densidade esperada. Da forma como foi elaborado, o interesse em acompanhar os desdobramentos da vida do trio familiar é zero.

Título Original: Üç maymun
Ano de Produção: 2008
Direção: Nuri Bilge Ceylan
Elenco: Yavuz Bingol, Hatice Aslan, Rifat Sungar, Ercan Kesal, Cafer Köse, Gürkan Aydin.
Nota: 2.0

Anúncios

15 Respostas para “3 Macacos

  1. Geralmente eu discordo de um ou outro ponto de suas críticas, mas nesse caso acho que eu discordo completamente mesmo, rsrsrsrsrs. Para mim o filme é tudo aquilo que você não achou.

  2. Cleber, com certeza!

    Kamila, veja sim.

    Gustavo, por que “vixe”?

    Vinícius, então você acha que “3 Macacos” é um filme coberto de texto e que a sua atmosfera não é usada para se comunicar com o público?

    Pedro, Deus me livre!

    Bruno, logo, logo deve chegar em DVD. O jeito é aguardar. E obrigado pela visita. O seu blog, o Movie for Dummies, já está presenta em meu blogroll. Visitarei depois. Abraços!

  3. eu também quero ver esse filme , até porque gosto de juntar todas as críticas de outras pessoas. A sua nota Alex, foi a mais baixa até agora. Pretendo ver em breve

  4. Alex, por incrível q pareça, filmes quando são execrados numa crítica me deixam com mais curiosidade em assistir (pra saber se irei odiar tbm ou ñ), mas q ñ chega a ser o caso desse aqui, a nota tá muito pior do q aquilo q vc escreveu no texto, lendo seu comentário achava q a nota fosse ser entre 4,5 e 5,5, portanto, achei q foste muito severo..rsrs..brincadeiras à parte, um dia verei pra tirar minhas próprias conclusões..abs! Diego!

  5. Diego, procuro sempre ver um filme, ele sendo execrado ou não pela crítica. Mas eu também tenho essa tendência de ver o que é considerado ruim quase por unanimidade para ver se a coisa de fato é pavorosa. E achei o filme terrível, mas não quis elaborar um texto agressivo porque sendo ruim ou não “3 Macacos” é uma experiência válida. Abraços!

  6. 3 Macacos é um filme sobre o silêncio. Não tem trilha sonora, só a músiquinha do celular da personagem da mãe. Belíssima atuação. Abomino todos que falaram mal do filme. Nem me respondam e nem me conectem. Eles sim, é que são ruins,não o filme. A mania pós-moderna de relativizar tudo é insuportável. Impossível hj admirar um filme de arte? Até tu Brutus!!!!!Meteu o pau no filme!!

  7. consegui assitir e me decepcionei também.
    minha nota não é tão baixa quanto a sua, mas achei o personagem principal um dos mais burros do cinema, o final deixou a desejar também. A fotografia porém é destaque.
    minha nota é 5,5

  8. Cristina, então no seu ponto de vista um filme de “arte” deve ser apreciado por ser… um filme de arte? Não tenho problema algum com filmes fora do convencional, que exercem propostas distintas de acordo com o que é visto atualmente. Claro, contanto que sejam bons.

    Marcelo, acho que a fotografia do filme é mesmo o seu único destaque. Mas o pior nem é mesmo o personagem central e sim a ausência de uma boa história.

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s