O Legado Bourne

O Legado Bourne | The Bourne LegacyMesmo que “O Ultimato Bourne” tenha se revelado uma experiência exaustiva para Matt Damon, o ator disse que voltaria a protagonizar um novo filme para a franquia Bourne com a condição de que Paul Greengrass estivesse novamente por trás das câmeras. A exigência não agradou a  Universal Pictures, aborrecida com o fracasso de “Zona Verde” (outra parceria estabelecida entre diretor e ator após “O Ultimato Bourne”) e receosa quanto ao temperamento difícil do diretor inglês nos sets.

Sem acordo, o estúdio decidiu seguir em frente e fez o possível para não trair os fãs da franquia Bourne. “O Legado Bourne”, ao contrário do que poderia se supor, não é um reboot ou um remake, mas sim um filme que transita em cenários já explorados Jason Bourne. Aí está a pegadinha: Tony Gilroy tenta fazer uma obra livre de amarras, mas se faz refém de um público que precisa assimilar a onipresença de Jason Bourne.

O herói da vez é Aaron Cross, interpretado pelo astro do momento Jeremy Renner. Este agente secreto não é desmemoriado, mas passou pelo mesmo programa  secreto para recrutamento desenvolvido pelo governo americano (nomeado Treadstone) que Jason Bourne e atualmente se vê em conflito consigo mesmo ao não conseguir controlar o vício por uma droga que o transformou em um indivíduo com resistência e habilidade sobre-humanas. Procurada por Aaron, a doutora Marta Shearing (Rachel Weisz) é uma das responsáveis pela fabricação da droga, misteriosamente cessada.

Após “Conduta de Risco” e “Duplicidade”, o americano Tony Gilroy mostra-se mais hábil ao orquestrar a ação de “O Legado Bourne”. Na melhor dela, Marta é a única a sobreviver no repentino massacre cometido por um colega no laboratório em que trabalha. Mesmo com esta evolução, “O Legado Bourne” se mostra insatisfatório ao resgatar uma franquia que fechou muito bem todo o seu ciclo como uma trilogia. Em resumo, “O Legado Bourne” é incapaz de justificar sua própria existência. Falta também ao filme personagens que outrora formaram um contraponto interessante a Jason Bourne. Sem Albert Finney, David Strathairn e Joan Allen (que fazem aparições muito breves), restou a introdução de um enfadonho Edward Norton à franquia como Eric Byer, um coronel aposentado chamado pelo diretor da CIA (Scott Glenn) para eliminar Aaron.

Título Original: The Bourne Legacy
Ano de Produção: 2012
Direção: Tony Gilroy
Roteiro: Dan Gilroy e Tony Gilroy, inspirado no romance de Robert Ludlum
Elenco: Jeremy Renner, Rachel Weisz, Edward Norton, Joan Allen, Albert Finney, Corey Stoll, Scott Glenn, Oscar Isaac, Stacy Keach, Donna Murphy, Sheena Colette, Nilaja Sun, Michael Chernus, Michael Berresse, Eli Harris, Jeff Grossman, Tom Riis Farrell, Page Leong e David Strathairn

Anúncios

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s