Ruby Sparks – A Namorada Perfeita

Ruby Sparks - A Namorada Perfeita | Ruby SparksDado o surpreendente sucesso de “Pequena Miss Sunshine“, fica difícil acreditar que o casal Jonathan Dayton e Valerie Faris levaram nada menos que seis anos para assumir a direção de um novo projeto. Talvez pela difícil batalha de viabilizar “Pequena Miss Sunshine“, tenha faltado a ambos um pouco de segurança ao conduzir novamente um longa-metragem independente. A colaboração com Paul Dano e Zoe Kazan, namorados na vida real, provavelmente tornaram “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita” uma experiência de trabalho mais prazerosa.

Além de interpretar Ruby Sparks, Zoe Kazan também escreve o roteiro. Ruby é, na realidade, uma personagem criada por Calvin (Paul Dano), jovem escritor que ainda colhe os frutos pelo seu romance de estreia. O problema é que desde então Calvin é incapaz de produzir um novo livro. O bloqueio criativo desaparece quando sonha com Ruby, uma garota que atende a todos os requisitos de uma parceira ideal. Eis que Ruby Sparks se materializa na luxuosa e vazia residência de Calvin, respondendo a descrição exata das páginas processadas em sua velha máquina de escrever.

O segredo de “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita” está em não tatear demais o fantástico, permitindo que Ruby, vinda das páginas de um romance para a vida de Calvin, seja mais importante pelas suas características comuns do que por sua origem extraordinária. Assim, as únicas pessoas próximas que realmente tomam ciência deste fenômeno são Harry (Chris Messina) e Rosenthal (Elliott Gould), respectivamente irmão e psicólogo de Calvin.

Por outro lado, se não bastassem as presenças caricatas dos grandes veteranos Annette Bening e Antonio Banderas, Zoe Kazan criou um Calvin que não passa de uma versão fictícia de Paul Dano. Excêntrico e intelectual, o personagem representa uma variação de outros papéis anteriormente incorporados pelo companheiro, com o plus de se aproximar do limite do insuportável. Mesmo que a intenção seja exaltar que nada na vida é prazeroso quanto tudo e todos estão sob nosso controle, soa injusto o final feliz oferecido a Calvin, que diante dos nossos olhos não se transforma o suficiente para que mereça ter uma Ruby ao seu lado.

Título Original: Ruby Sparks
Ano de Produção: 2012
Direção: Jonathan Dayton e Valerie Faris
Roteiro: Zoe Kazan
Elenco: Paul Dano, Zoe Kazan, Chris Messina, Steve Coogan, Annette Bening, Antonio Banderas, Alia Shawkat, Deborah Ann Woll, Elliott Gould e Aasif Mandvi

Anúncios

4 Respostas para “Ruby Sparks – A Namorada Perfeita

  1. Estou muito curiosa para assistir a este filme, especialmente porque ele me parece ter dividido opiniões. De qualquer maneira, confio na dupla Jonathan Dayton e Valerie Faris.

    • Kamila, o filme tem recebido mais elogios do que críticas. Pode se revelar uma decepção para os fãs fervorosos de “Pequena Miss Sunshine”, mas não há como negar que “Ruby Sparks” tem originalidade.

  2. Essa naturalidade de não se apegar necessariamente ao fantástico, pra mim, é a grande qualidade do filme porque como romance é um pouco frouxo. É um filme simpático, mas nada demais. Pra dupla que fez um filme tão cheio de camadas como Pequena Miss Sunshine, esperava bem mais desse aqui.

    • Rafael, acredito que os maiores méritos e problemas de “Ruby Sparks” se concentram em Zoe Kazan. Méritos porque ela se mostra aqui uma baita atriz e ainda é responsável por um argumento bem original. Já os problemas se concentram na conclusão oferecida à história e a escolha de arrastar o seu companheiro Paul Dano para viver o protagonista.

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s