Eu, Anna

36ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

Por maior que seja o talento de um intérprete, ele sempre encontrará dificuldades para conseguir um papel de grande destaque ao atingir uma idade elevada. Não é coisa que se vê apenas em Hollywood. Em qualquer lugar que se faz cinema existe um preconceito com veteranos, pois vivemos em uma realidade em que aparência física é (equivocadamente) tudo, inclusive parâmetro para determinar sucesso de um filme. Atualmente, só se vê uma atriz como Charlotte Rampling e um ator como Gabriel Byrne em dois tipos de papel: o secundário em um projeto com algum apelo e o principal em um filme de qualidade duvidosa. Infelizmente, “Eu, Anna” se encaixa na segunda categoria.

Filho de Charlotte Rampling, Barnaby Southcombe estreia como diretor de longa-metragem adaptando o romance homônimo de Elsa Lewin. Na trama, o inspetor-chefe Bernie Reid (Gabriel Byrne) vive dias difíceis por causa de um rompimento recente com a esposa. Isto o faz ficar atraído de imediato por Anna (papel de Charlotte Rampling), uma mulher que aparenta ter a mesma idade que a sua e cujo charme lhe chama a atenção. O problema é que Bernie a contemplou justamente no edifício em que investiga um assassinato – não muito tempo depois, ele recebe evidências que são fortes o suficiente para incriminá-la.

Ao longo da narrativa, notamos a escolha de Barnaby Southcombe em transformar a adaptação em um verdadeiro neo noir, uma vez que tenta explorar ao máximo o envolvimento pessoal de um agente da lei com uma mulher de personalidade dúbia, algo que caracteriza uma femme fatale. Ficou só na intenção, pois “Eu, Anna” tem uma previsibilidade gritante, um erro que um thriller jamais pode cometer. Sem qualquer outro atrativo, nos resta observar com algum interesse os momentos em que Charlotte Rampling e Gabriel Byrne contracenam juntos, fazendo o possível para valorizar a psicologia barata do texto.

Título Original: I, Anna
Ano de Produção: 2012
Direção: Barnaby Southcombe
Roteiro: Barnaby Southcombe, baseado no romance homônimo de Elsa Lewin
Elenco: Charlotte Rampling, Gabriel Byrne, Hayley Atwell, Eddie Marsan, Jodhi May, Ralph Brown, Max Deacon, Honor Blackman, Roger Alborough, Joey Ansah, Perry Benson e Caroline Catz

Anúncios

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s