A Perseguição

Pior do que ser um dos passageiros de um voo que não chegou ao seu destino é sobreviver a queda em uma área inóspito. É exatamente o que acontece com John Ottway (Liam Neeson), um melancólico viúvo chamado para proteger de lobos uma equipe de perfuração de petróleo no Alasca. Ele quase tira a própria vida um dia antes de voltar para casa, mas acredita que o uivo dado por um lobo no instante em que apontava para si uma espingarda talvez seja um sinal de que o destino lhe reservará algo especial.

Uma vez o avião destroçado no solo, temos John em um lugar em que a temperatura é abaixo de zero e que não há absolutamente nada ou ninguém que possa ajudá-lo. Na companhia de outros sobreviventes, como Hendrick (Dallas Roberts), Talget (Dermot Mulroney), Diaz (Frank Grillo) e Flannery (Joe Anderson), John sugere que sigam em frente, pois não haveria chances de sobreviverem por muitas horas no local da queda. Entretanto, o maior perigo está por vir, pois a jornada desses personagens contará com a presença de inúmeros lobos ferozes e famintos.

O cineasta americano  Joe Carnahan sabe que há uma vasta galeria de obras em que os limites do ser humano são testados na luta pela sobrevivência em um ambiente em que a natureza se revela a maior ameaça. Há até uma passagem em que um personagem, em tom de brincadeira, compara a situação com a mesma que viu no filme “Vivos”, um clássico dessa linha dirigido por Frank Marshall em 1993.

Se isto não o faz escapar de alguns chavões típicos no primeiro ato da história, como a presença de um personagem que se mostra excessivamente arrogante (no caso, Diaz), ao menos consegue se mostrar autêntico ao tornar a obstinação dos personagens em algo mais emocional. “A Perseguição” é bem-sucedido se encarado apenas como um entretenimento com todas as características de uma história de sobrevivência. Porém, é na decisão em elevá-la para uma jornada dramática em que homens passam a compreender a própria existência com a morte tão próxima deles a razão deste ser o filme mais relevante e especial de Joe Carnahan desde “Narc”.

Título Original: The Grey
Ano de Produção: 2011
Direção: Joe Carnahan
Roteiro: Joe Carnahan, baseado no conto “Ghost Walker”, de Ian Mackenzie Jeffers
Elenco: Liam Neeson, Dallas Roberts, Dermot Mulroney, Frank Grillo, Joe Anderson, Nonso Anozie, James Badge Dale, Ben Bray e Anne Openshaw

Anúncios

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s