Megamente

Geralmente, as animações deixam bem claro com suas histórias quem são os mocinhos e os vilões. Os personagens de boa índole podem até sofrerem, mais o final reservado sempre será feliz. Já os vilões são os que criam todos os conflitos para no desfecho fracassarem. Se analisarmos com um pouco de profundidade, são perfis criados por autores desonestos. O mocinho ou a donzela em perigo nem sempre são tão bonzinhos assim. O contrário se aplica aos vilões, pois por trás de uma aparência fora do normal e de planos mirabolantes existem sentimentos conturbados, alguns bem positivos. É dentro dessa perspectiva que encontramos o valor de “Megamente”, a nova animação comandada por Tom McGrath.

No início do filme, testemunhamos a infância de Megamente (voz de Will Ferrell) e Metro Man (Brad Pitt), que são arremessados para a Terra enquanto o planeta onde viviam sumia do universo. Nesta etapa da vida, até torcemos para Megamente quando ele se transforma no vilão da história. Afinal, Metro Man é daqueles heróis presunçosos e cheio de caras e bocas enquanto Megamente, um sujeito de pele azul e cabeça enorme, sofre bullying por não ser popular como Metro Man. Quando vai preso após uma vingança que prega para a escola onde estuda, Megamente se mostra ainda mais perverso. Derrotado dia após dia nas batalhas contra Metro Man ao longo de toda sua existência, Megamente finalmente descobre o calcanhar de Aquiles de seu inimigo, eliminando-o. Domina com a vitória Metro City, mas não demora para se entristecer, pois vê que não existe nenhum outro herói do dia para combatê-lo.

A partir deste ponto, a animação se dedica em mostrar como Megamente supera este impasse, criando com suas fórmulas um novo herói. Acidentalmente, o cameraman (Jonah Hill) de Roxanne Ritchie (Tina Fay) herda os poderes sensacionais. Aproveitando a oportunidade, Megamente o treina sob um disfarce para ser o novo herói que Metro City tanto clama, nomeando-o como Titan. As sequências onde Titan põe suas habilidades em prática comprovam o competente trabalho técnico da equipe responsável pela animação, com cenas aéreas que enchem os olhos. Já no humor, “Megamente” fica devendo. Nem a ótima sátira a Marlon Brando supera o vigor cômico apresentado por Tom McGrath na série “Madagascar”. Por outro lado, como aventura “Megamente” se mostra acima da média, ainda mais pela originalidade na (des)construção de heróis e vilões.

Título Original: Megamind
Ano de Produção: 2010
Direção: Tom McGrath
Roteiro: Alan J. Schoolcraft e Brent Simons
Vozes de: Will Ferrell, Tina Fey, Brad Pitt, Jonah Hill, David Cross, Justin Theroux, Ben Stiller, Jessica Schulte, Tom McGrath, Emily Nordwind, Mike Mitchell e J.K. Simmons
Cotação: ***

 

Anúncios

4 Respostas para “Megamente

  1. Eu concordo plenamente que esse filme se revela acima da média, especialmente neste aspecto destacado por você: a desconstrução dos papeis dos herois e dos vilões. Pra falar a verdade, achei “Megamente” uma surpresa! Adorei essa animação!

  2. Pingback: Melhores de 2010 – Indicados « Cine Resenhas·

  3. Achei divertidíssimo! É a típica animação da DreamWorks sobre malandros, vagabundos e sujeitos atrapalhados. Mas, aqui, funciona. O personagem é muito interessante e realmente engraçado. Will Ferrell ajuda muito nisso.

    Abs!

  4. Pingback: Melhores de 2010: Animação « Cine Resenhas·

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s