Loki – Arnaldo Baptista

Loki - Arnaldo BaptistaA banda “Os Mutantes” revolucionou o rock brasileiro e, como não poderia deixar de ser, experimentou dois caminhos díspares do sucesso: a ascensão e a queda. Arnaldo Baptista, o integrante a frente do grupo, é o que testemunha de maneira mais intensiva essas experiências de orgulho e fracasso. Prova disto é o documentário “Loki – Arnaldo Baptista”, o primeiro longa-metragem do Canal Brasil que foi produzido e lançado de forma independente.

Formado por Arnaldo Baptista, Sérgio Dias e Rita Lee, “Os Mutantes” eram notórios dentro do cenário musical brasileiro pelos recursos que utilizavam considerados inovadores o suficiente para que prestígio fosse alcançado a nível internacional. O percurso feito pelo grupo era cada vez mais promissor se não fossem o envolvimento com drogas e o casamento de Arnaldo Baptista e Rita Lee naufragar aos poucos. A separação foi tão marcante para Arnaldo que praticamente registrou o fim de “Os Mutantes” no final da década de 1970.

O documentário, que faz um belo trabalho de edição ao acrescentar material de época, também não se esquece de registrar em suas duas horas de metragem outros acontecimentos marcantes na vida de Arnaldo Baptista, como sua tentativa de suicídio, a paixão pela pintura, seu retorno aos palcos em 2006 e principalmente o seu disco “Loki”, considerado um dos maiores trabalhos da música brasileira cujas faixas praticamente serviram como confissões de vida do próprio Arnaldo. O resultado da realização é uma homenagem que faz jus ao incrível artista e ser humano que retrata.

Título Original: Loki – Arnaldo Baptista
Ano de Produção: 2008
Direção: Paulo Henrique Fontenelle
Depoimentos de: Arnaldo Baptista, Tom Zé, Clarisse Leite, Martha Mellinger, Nelson Motta, Gilberto Gil, Sean Lennon, Dinho Leme, Rogério Duprat, Sérgio Dias, Roberto Menescal, Liminha, Lobão e Zélia Duncan.
Cotação: 4 Stars

Anúncios

8 Respostas para “Loki – Arnaldo Baptista

  1. Deveria me animar mais com documentários em geral, especialmente estes biográficos. Arnaldo Baptista é conversa recorrente aqui em casa, dado a paixão alucinante que minha mãe teve por “Os Mutantes” – paixão esta que ela passou para mim, só que em menor intensidade. Das diversas canções que já ouvi do grupo, gostei de quase todas.

  2. Sem dúvida estou bem curioso para ver esse documentário que é considerado um dos melhores nacionais do último ano. Os comentários positivos contribuem para isso.

  3. – Weiner, já eu acho estranho a minha mãe nem comentar sobre “Os Mutantes”, que tanto marcou a sua juventude. E se você gosta de várias músicas do grupo pode se entusiasmar, pois o documentário é cercado delas.

    – Vinícius, eu mesmo considero ele um dos melhores títulos do ano passado.

  4. Acho que esse é o melhor documentário nacional dos últimos tempos, ao mostrar o gênio do Arnaldo, de quem sou bem fã, e como ele chegou ao fundo do poço e conseguiu sair dele. É meio triste notar como ele ficou meio infantil, meio “bobão”, mas continua genial.

  5. – Luiz, também foi o melhor documentário dos poucos nacionais que pude ver em tempos mais recentes. Também achei triste perceber que todos os percursos de sua vida o deixaram bem abalado, mas o importante é que, ao término do documentário, percebemos que ele é um artista feliz com sua vida atual.

    – Luis, não vi muitos documentários nacionais recentes. Um que eu lembro, gostei e que passou pelo blog foi “Waldick – Sempre No Meu Coração”.

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s