[REC]

[REC]Os cineastas Jaume Balagueró e Paco Plaza são grandes destaques dentro do cinema espanhol contemporâneo. E o talento de ambos justifica todo esse prestígio. No entanto, mesmo que os seus filmes obscuros tenham um delineamento invejável no que se diz respeito a atmosfera, Balagueró e Plaza trabalham com roteiros tão pretensiosos que nos impossibilita de entregar uma melhor avaliação para as suas obras. Basta assistir “A Seita” (de Balagueró) e “Romasanta – A Casa da Besta” (de Plaza) para notarmos que há um vigoroso trabalho técnico e habilidade para cenas de terror, mas que não sustentam a narrativa “viajante”. Isso muda de forma extraordinária em “[REC]”, um terror sensacional e de verdade que proporciona uma experiência perturbadora que não é transmitida desde “A Bruxa de Blair”.

A repórter Ángela Vidal (a sensacional Manuela Velasco, que fez uma pequena participação quando pequena em “A Lei do Desejo”, de Pedro Almodóvar) é incumbida juntamente com o seu cameraman Pablo (Pablo Rosso, ao qual nunca vemos e que é responsável pela fotografia do filme) para apresentarem uma nova atração para o programa “Enquanto Você Dorme”. Desta vez, a dupla deve cobrir a rotina noturna dos bombeiros. Eles passam pelo refeitório, dormitórios, quadra para esportes, banheiros e outros espaços do quartel aguardado por uma chamada com a intenção de registrar toda a operação dos bombeiros. Uma emergência acontece e ambos acompanham todo o percurso até um prédio onde num dos quartos há uma idosa que perturba os vizinhos com os seus gritos. Não é um ataque de loucura e um dos policiais que também averiguam a situação é atacado brutalmente. Quando todos vão a caminho do portão principal para escaparem deste perigo que logo se pronunciará como epidemia todo o local é bloqueado pela vigilância sanitária num estado agravante de quarentena.

Tudo isto é orquestrado por Balagueró e Plaza no mesmo recurso de “A Bruxa de Blair”: conduzido num formato como se tudo que vemos fosse registrado de forma verídica, apagando completamente a nossa convicção de que não passa de pura encenação. Embora este seja uma forma de cinema que aos poucos se adapta pela maneira como o público vem respondendo a isto no número de bilheterias, nenhum longa dessa safra recente foi capaz de ser tão marcante como “[REC]”. Talvez “Diário dos Mortos”, de forma alguma o fraco “Cloverfield – Monstro” e muito menos a péssima refilmagem de “[REC]”, “Quarentena”.

Manuela Velasco, que venceu o prêmio Goya de melhor atriz revelação ano passado, está impressionante ao interpretar de forma magnífica e crível o desespero que toma a sua personagem e a sensação do público se fixar em Pablo, como um objeto principal de cena que parece participar dentro da ação, é instantânea. Não há trilha instrumental, somente um trabalho de som competente que merece extremo reconhecimento. Mas muitos dos méritos devem ser devidamente depositados aos diretores que com um roteiro eficiente, também escrito por Luis Berdejo, criaram um filme que não se limita aos sustos. Muito pelo contrário. Renovam o conceito de filmes de zumbis, se tornam referência dentro do gênero e proporcionam uma experiência tão incômoda e de níveis tão insuportáveis que acabam por entregar a verdadeira mágica do nosso prazer pelo medo. Um sentimento que evitamos apresentar, mas viciosa no cinema quando este a proporciona através da ficção – e que é ainda mais eficiente quando surpreende pelo incrível realismo que a encena.

Título Original: [REC]
Ano de Produção: 2007
Direção: Jaume Balagueró e Paco Plaza
Elenco: Manuela Velasco, Ferran Terraza, Jorge Serrano, Pablo Rosso, David Vert, Vicente Gil, Martha Carbonell, Carlos Vicente, Claudia Font, Carlos Lasarte e Javier Botet.
Cotação: 4 Stars

Anúncios

26 Respostas para “[REC]

  1. Não conhecia o histórico do diretor Balagueró, mas e mvista desse comentário, dos dos demais blogueiros e da escassez de fitas de horror realmente assustadoras, vou procurar alugar o DVD quando sair. Pelo que se vê, fora um ou outro cineasta mais talentoso, o gênero tem se enriquecido mais com produções não-hollywoodianas nos últimos anos.

    Cumps.

  2. Olá, Alex! Tdo bem?

    Estou ouvindo maravilhas sobre o filme, e como, você sabe, estou com uma boa curiosidade para vê-lo. E, fiquei sabendo que o filme virá no DVD no mês que vem!

    Fique bem, beijos! ;)

  3. Todo mundo dizendo que esse é um dos melhores filmes de terror do último ano e agora fiquei ainda mais confiante após seus comentários – afinal, dificilmente você erra na avaliação de um filme do gênero.

  4. Infelizmente esse filme é um excremento só.
    Nâo convence … não empolga e quando deveria ter sido decisivo … entrega momentos vexatórios …

    Poderia ter passado o ano passado sem esse excremento … e esse cinema espanhol de horror … tá mais parecendo paraguaio …

    Espero que Timecrimes seja bem melhor do que esse lixo atômico …

  5. É uma forte abordagem espanhola ao mundo do terror. Suspense e sangue qb, garantem uma forte dose de ansiedade a quem vê. Estou curioso para ver como será a continuação, [Rec 2], não só na forma da filmagem como para verificar qual a saída para os diversos ‘personagens’…

    8/10.

    Abraço.

  6. Se é a produção mais assustadora do cinema de terror eu não sei dizer, mas confesso que suei frio quando vi REC. Ao término do filme eu estava praticamente afundado na poltrona do cinema. Gostei muito da experiência, e pelas técnicas de filmegens lembra mesmo A bruxa de Blair porém esse REC é um pouo mais explícito, e quando a sequência do filme só vai existir mesmo para lucrar em cima do sucesso do primeiro pois eu julgo desnecessária. Mas REC deixou sua marca

  7. Gustavo, é verdade. O cinema francês, espanhol e asiático são os que produzem as melhores fitas do gênero. Já os americanos, quando estão com orçamentos bem modestos (como Bryan Bertino em “Os Estranhos”) também são bem eficientes. Abraços!

    Mayara, tudo bem. Então pegue carona no lançamento em DVD e confira “[REC]”. Garanto que o efeito no televisor deve ser o mesmo proporcionado pela tela grande. Beijos.

    Vinícius, acho que às vezes eu erro (vide comentários em “Eu Sei Quem Me Matou”, rs). Mas notei no Twitter que você curtiu a fita. Fico feliz!

    JP, seu comentário sobre “[REC]” é totalmente equivocado e como fã do longa confesso que eu o achei bem ofensivo. Tudo bem que não gostar do longa é um direito de qualquer um, mas não precisa ser tão agressivo para defender seu ponto de vista.

    Red, eu também gostaria muito de saber o que irá rolar na sequência de “[REC]”, especialmente no que se diz respeito a Ángela Vidal. Abraço!

    Marcelo, admito que gosto mais de “A Bruxa de Blair” (esse filme me provocou um trauma que me impossibilitou de dormir). E mesmo que talveza sequência seja desnecessária, acredito que a dupla de diretores podem nos apavorar tanto quanto neste daqui.

  8. “nenhum longa dessa safra recente foi capaz de ser tão marcante como “[REC]”” Com certeza, Alex. Aliás, você disse tudo que eu gostaria de dizer sobre o filme – inclusive, também dei nota 9. Eu dei um bons gritos aqui. hehe E isso é muito difícil de acontecer. Junto com O Nevoeiro, é o melhor suspense do ano passado. Talvez um dos melhores do cinema recente.

    []s!

  9. Alex, estou MUITO FELIZ agora! Até que enfim achei um cinéfilo que, assim como eu, deu nota 9,0 ao filme espanhol. Grande fita! Além da tensão que me causou (há tempos não suava frio na poltrona), o filme abre discussões ferozes sobre ética cinetífica e sociológica. Eu, como estudante na área da saúde – e metido a pesquisador – pensei muito em algumas coisas que já presenciei em laboratória rsrsrsrsrsrs. EXCELENTE filme!!!

    Abraços!

  10. Tô ansioso para conferir. Já que aqui entrou em cartaz e saiu uma semana depois, não pude conferir. Quando puder vou procurar por ele, é bom quando o gênero ganha ar novo.

    Ciao!

  11. Bom dia,

    Envio esta mensagem com o intuito de dar a conhecer o meu recém-criado blog sobre cinema (http://www.additionalcamera@blogspot.com). Sou um amador por estas andanças, mas se lhe interessar o conteúdo do meu sítio, gostaria de receber o seu apoio para divulgá-lo, nomeadamente através da colocação de um link no blog que administra. Colocarei também o seu endereço na minha rubrica “Additional Cameras”.

    O meu muito obrigado pela sua atenção!

    Sem outro assunto de momento, desejo-lhe as maiores felicidades para o futuro!

    Filipe Machado

    P.S. – Participe na sondagem “Melhor James Bond com Sean Connery” até ao dia 31 de Janeiro 2009, em http://additionalcamera@blogspot.com.

  12. Jeff, concordo plenamente. Acho que este mês de janeiro, que estou tirando para ver filmes do ano passado, não me trará nenhum outro exemplar do gênero que me agrade tanto como “O Nevoeiro” e “[REC]” – ou mesmo “O Orfanato”.

    Vinícius, deveria cobrar por ter acertado, rs.

    Pedro, louco!

    Kau, é muito legal que um filme do gênero seja visto por pessoas espertas e que não o encaram somente como uma festa de sustos. A experiência de ver “[REC]” é maravilhosa e aterradora e o ótimo roteiro beneficia – e muito – para este resultado. Abraços!

    Wally, sorte a sua que o filme deve chegar este mês nas locadoras.

    Filipe, com toda a certeza. Assim que resolver os meus problemas com a internet visitarei o seu blog e irei linka-lo. Obrigado pela visita e convite.

    Robson, achei o filme algo ainda maior que espetacular.

  13. Achei REC hilário! Tão ruim que de terror passou para comédia logo nos 20 primeiros minutos, salvo a ótima cena final (que parece ter sido feita por outros diretores).

    Por causa do final não discordo muito do seu texto.

    Abraço!

  14. Luciano, até das minhas piadas sem graças tu dá risada ¬¬ E que bom você ter concordado um pouquinho que seja – sinal de evolução :P Abraço, estranho!

  15. Pingback: Quarentena « Cine Resenhas·

  16. Pingback: Melhores de 2008: Mixagem de Som « Cine Resenhas·

  17. Não sei por qual motivo inveitei de assistir esse filme … resultado … não dormi à noite!!! Para quem gosta do gênero ele é muito bom e muito assutador, assim como O NEVOEIRO!!!

  18. Eduardo, é um filme tremendamente assustador. Eu nem estou com muita coragem de revê-lo por conta de que terá de ser de noite se eu o fizer.

  19. Acho que o “Quarentena” – remake do “[REC]“ – é até mais assustador, pois os efeitos são melhores. Mas isso não tira os méritos do filme espanhol!!!

  20. Eduardo, eu não acho que os efeitos de “Quarentena” sejam melhores do que aqueles apresentados em “[REC]”. Acho a versão americana totalmente desapontadora.

  21. Pingback: Ponto Crítico - Nov/08 « Cine Resenhas·

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s