Divas do Blue Iguana

divas do blue iguana

Talvez seja a primeira vez que o mundo das mulheres que se sustentam como strippers profissionais ganha uma abordagem relevante no cinema. Ao contrário do que foi feito por Andrew Bergman em “Striptease”, longa perdido nas suas pretensões e que amaldiçoa Demi Moore até hoje, “Divas do Blue Iguana” é um filme triste que transforma as suas personagens em algo bem distante daquilo que definimos como “vadias”. Aqui as tais divas são mulheres perdidas no mundo que as cercam, que almejam por algum afeto e que possuem talento especial a ser desenvolvido mas que só encontraram alguma oportunidade de continuar seguindo um rumo se despindo em frente de homens mais vulgares e sujos que elas próprias. E ao contrário destes, as mulheres são as que mais apresentam garra e um sonho pelo qual lutar.

O que surpreende nesta premissa é que, por trás dela, está ninguém menos que Michael Radford, o cineasta sensacional responsável por “O Carteiro e o Poeta”, “O Mercador de Veneza” e o recente “Um Plano Brilhante”, que também dirige “Divas do Blue Iguana”. Aqui acompanhamos o dia e a noite de cinco dançarinas de uma boate. Pela manhã encarando a dura existência. Pela noite se apresentando. Entre elas, Angel (Daryl Hannah, que realizou o documentário “Strip Notes”, baseado nas suas experiências com este filme) é uma das strippers que ganham um grande destaque no drama, sendo ela uma pessoa de idade madura mas que se comporta como uma pós-adolescente aguardando pelo instante que possa vivenciar as experiências de ter uma filha, só que suas neuroses também se assemelham a esta fase da vida pelo qual já passou por um bom tempo. Já Jasmine (Sandra Oh) é aquela que elimina as suas dores internas escrevendo poemas maravilhosos. E temos também Joe (Jennifer Tilly), meio estourada e que está grávida.

As atrizes Sheila Kelley e Charlotte Ayanna também tem os seus momentos interpretando, respectivamente, Stormy e Jesse. Mas o valor de “Divas no Blue Iguana” reside em algo raramente elaborado no cinema: o trabalho coletivo. Com o baixo salário que as atrizes receberam para embarcarem neste projeto é surpreendente ver que todas elas se dedicaram de maneira intensa para a construção de suas personagens, conversando com strippers reais e visitando inúmeras boates acompanhando a rotina das dançarinas. Ao levantarem esta pesquisa, Radford, junto com David Linter, trataram de conceber a estrutura adequada para o longa. Apesar de todo esse esforço, “Divas do Blue Iguana” é irregular e este resultado pode ser obtido analisando cada uma das estrelas envolvidas. Sandra Oh, excelente atriz e que tem bom curriculum, é aquela que reserva a história com a qual mais nos identificaremos. Em contrapartida, é Daryl Hannah que, assim como sua carreira, está a um ponto de se jogar no abismo. Ou seja: faltou mais talentos para que o filme de Michael Radford se tornasse o estudo perfeito deste tema e que fosse dado como referência.

Título Original: Dancing at the Blue Iguana
Ano de Produção: 2000
Direção: Michael Radford
Elenco: Daryl Hannah, Charlotte Ayanna, Sandra Oh, Sheila Kelley, Jennifer Tilly, Chris Hogan, Rodney Rowland, W. Earl Brown e Elias Koteas.
Nota: 6.0

Anúncios

11 Respostas para “Divas do Blue Iguana

  1. Confesso que nunca escutei falar desse “Dancing at the Blue Iguana”, mas alguns nomes do elenco são bem interessantes – especialmente a Daryl Hannah.

  2. Nossa, como faz tempo, lembro-me de ter lido sucintamente a respeito do filme em seu lançamento. Tem até Sandra Oh pré-fama. Porém, o diretor, sendo Radford, dá desânimo, e não duvido nada que seja irregular mesmo, como UM PLANO BRILHANTE e o moroso O CARTEIRO E O POETA.

    Cumps.

  3. Alex, que tal ano que vem a gente fazer um bolão do Oscar com os blogueiros e conhecidos? Converse com o pessoal de alguns blogs que você conhece e se você estiver a fim me avise. Nem precisa ter dinheiro, pode ser apenas por pontuação mesmo. Até mais.

  4. Vinícius, uma pena que a Daryl Hannah não renda muito.

    Kau, é um filme que recomendo.

    Kamila, vale a pena procurar nas locadoras.

    Wally, veja sim.

    Gustavo, gostei muito do pouco que vi do Radford. E acho que ele se dá muito bem dirigindo este drama.

    Denis, eu montei um bolão do Oscar este ano e tenho planos para montar um novo para o Oscar 2009 incluindo novamente todas as categorias. No entanto, não fiz com a intenção de dar algum prêmio ao vencedor – vendo que quem venceu este ano neste espaço fui eu, rs. Qualquer coisa mantenha contato.

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s