Especial Brian De Palma: Parcerias

Qualquer um que assista a um filme de Brian De Palma pode notar entre os muitos elementos de seu cinema algo especial entre o elenco e o profissional que o coordena. Essa constatação entre diretor e intérprete pode ser comprovada a partir das inúmeras parcerias existentes ao longo da grande carreira do diretor, onde muitas destas colaborações foram repetidas, sendo com grandes astros do cinema ou mesmo com talentos notáveis já esquecidos, infelizmente.

Quando De Palma ainda cuidava de curta-metragens um elo foi formado com William Finley, com quem o diretor trabalhou o maior número de vezes, sendo nove o total. Este ator nascido em Nova York há sessenta e seis anos atrás foi com quem Brian De Palma pôde ser grande amigo enquanto William frequentava a Sarah Lawrence College, local onde De Palma adquiriu experiências na área de direção. De aparência para lá de sinistra, William Finley possui dois desempenhos extraordinários da sua carreira formada por um pequeno número de filmes, sendo estes como protagonista mascarado de “O Fantasma do Paraíso” e o “médico maluco” apaixonado por uma das irmãs gêmeas de “As Irmãs Diabólicas”. Sua última aparição nas telas foi como um personagem obscuro de “Dália Negra” que tem relação direta com a morte de Elizabeth Short. A voz que emprestou para Bobbi em “Vestida Para Matar” também é um trabalho marcante.

O diretor também trabalhou com alguns membros de sua família e com duas das suas três ex-esposas. Vocês se recordam da aparição de um garoto andando em uma bicicleta atormentando Carrie White em “Carrie – A Estranha”? Não se preocupem, trata-se de Cameron De Palma, de quem De Palma é tio. Bart De Palma, seu irmão mais velho e fotógrafo, fez ponta em dois filmes do mestre – “Femme Fatale” e “Hi, Mom!” – e colaborou no departamento artístico de “Femme Fatale”, sendo responsável pela bela imagem de encerramento do longa. Com Nancy Allen foram quatro personagens oferecidas e aceitas, sendo a mais memorável a bela garota de programa Liz Blake, em “Vestida Para Matar”. E por último, Gale Anne Hurd, que atuou como produtora em “Síndrome de Caim”.

No entanto, aquela que se tornou a relação profissional entre diretor e ator mais expressiva foram mesmo com Robert De Niro e Al Pacino. Se De Niro deve muito do seu sucesso ao diretor por tê-lo lançado, Pacino adquiriu em Tony Montana o seu personagem mais cultuado. E não podemos nos esquecer também de Carlito Brigante, do formidável “O Pagamento Final”. Voltando em “Scarface” existem outros talentos a serem destacados desta obra-prima do cinema. Trabalhando hoje em dia numa velocidade bem baixa, Mary Elizabeth Mastrantonio estreou nos cinemas com pé direito: interpretou ninguém menos que Gina, irmã de Tony Montana. Michelle Pfeiffer, que até então só tinha se destacado no fracassado “Grease 2” mostrou a grande atriz que até hoje admiramos ao incorporar a bela Elvira. O filme também amadureceu Oliver Stone, que fez uma longa pesquisa para assinar o roteiro de “Scarface” após o fiasco de “A Mão”, longa protagonizado por Michael Caine.

Sean Penn foi outro beneficiado ao trabalhar com Brian De Palma. Até então lembrado pela década de 80 pelo seu abestalhado Jeff de “Picardias Estudantis”, Penn ganhou impulso ao participar como coadjuvante de “Pecados de Guerra” (aqui também sendo revelado um outro grande talento no seu único filme, a atriz Thuy Thu Le) e “O Pagamento Final”. Já Sissy Spacek, mesmo tendo um filme primordial protagonizado anteriormente com Terrence Malick, “Terra de Ninguém”, foi consagrada definitivamente como Carrie White. Piper Laurie, que vive a mãe de Carrie, entrou na história como uma das mães mais perturbadoras existentes no cinema. E o que dizer de John Travolta? Antes de estourar com “Grease – Nos Tempos da Brilhantina” e “Os Embalos de Sábado a Noite” ele fez o namorado canalha de Nancy Allen em “Carrie – A Estranha”. Cinco anos depois, um dos seus melhores desempenhos formando novamente par com Nancy: “Um Tiro na Noite”.

Mesmo que sendo um projeto comprometedor na carreira de Brian De Palma, “A Fogueira das Vaidades” serviu para Tom Hanks mergulhar em premissas com tons mais obscuros e desafiadores e revela mais uma parceria com Melanie Griffith, boa atriz que teve o seu talento confirmado (e, consequentemente, uma indicação ao Globo de Ouro) somente ao dar vida à Holly, a atriz pornô de “Dublê de Corpo”. “Os Intocáveis” também deu o que falar. Além da substituição de Bob Hoskins por Robert De Niro, foi reservado a Andy Garcia o seu primeiro grande papel nas telonas, Patricia Clarkson realizando sua estréia como atriz de cinema e Kevin Costner é entregue ao estrelato depois de muitas discódias do estúdio e da total aprovação de Brian De Palma para o ator viver Eliot Ness.

Não é pouco: Jill Clayburgh, Paul Williams, Jessica Harper, Amy Irving, Charles Durning, John Lithgow, Gary Sinise, Luis Guzmán, Ving Rhames, John Lithgow, Dennis Franz, Craig Wasson, Margot Kidder, Gregg Henry e Betty Buckley são outros nomes que devem muito ao diretor, sendo tanto pelo número de parcerias que deram certo ou, principalmente, o primeiro passo da carreira. Quem diria que um cineasta tão injustiçado fosse capaz de tantos feitos como este.

Anúncios

25 Respostas para “Especial Brian De Palma: Parcerias

  1. Alex, adorei esse texto “Parcerias”. Dessa vez vc caprichou! Enquanto ia lendo, fui relembrando os filmes mencionados e várias cenas foram passando na minha cabeça. Lembrei da mãe religiosa e maluca de Carrie, da delícia da Melanie Griffith (como o tempo passa!), do Sean Penn em Pecados de Guerra, etc. O único filme que não vi do De Palma foi Fogueira das Vaidades, por ter sido tão massacrado. Uma das cenas mais tristes e belas do cinema está num filme do De Palma, que é a morte de Jim Malone (Sean Connery, soberbo) em Os Intocáveis. Aquela trilha do Morricone me arrepia só de pensar nela. Scarface também é injustiçado, pois a crítica teima em compará-lo ao original. Al Pacino está loucaço nesse filme e há tantas cenas memoráveis que vou até pegar minha edição especial aqui e assisti-lo em dvd. Abraços.

  2. Denis, ao escrever este texto fui me recordando de muitas coisas (mais do que naquele onde faço uma pequena biografia do diretor), pois me fez lembrar de praticamente todos os filmes que vi do Brian De Palma e o quanto as atuações me marcaram. E admito que você não tem muito a perder se não conferir “A Fogueira das Vaidades”. Eu não sei exatamente o tom do livro de Tom Wolfe – que dizem ser extremamente sério -, mas o filme é meio perdidinho. É elegante e tudo o mais, só que não é o bom Brian De Palma que conhecemos e admiramos até hoje. E “Scarface” é um filme que tento rever ao menos uma vez por ano. É um dos meus prediletos do diretor e acho superior ao original em todos os sentidos. Abraços!

  3. Alex, vc deve saber que está sendo feito por De Palma a continuação de OS Intocáveis. o título até agora é The Untouchables: Capone Rising. Só não tenho confirmação de nenhum ator. vc sabe algo mais?

  4. Muito legal Alex, vc tá se mostrando além de fã um grande conhecedor, vc deveria pensar em juntar esse material já publicado aqui no blog, mais outros que deve estar aprontando e publicar. Como material inédito já vale.

  5. Todo bom diretor trabalha com grandes atores e este texto prova que é o caso de Brian De Palma. E acho muito bom o diretor ter uma equipe técnica em que confia, profissionais que conhecem o gosto dele, a maneira dele abordar as coisas. Isto facilita demais o trabalho do diretor.

  6. Cara, faz um tempão que não apareço aqui pelo seu blog e essa retrospectiva do trabalho do De Palma é formidável, um trabalho copetentíssimo. Parabéns mesmo. Adoro ele, embora tenho que ver muito mais de seus filmes. Abraço!!!

  7. • Denis, de longe o filme do Brian De Palma é o melhor da série “Missão: Impossível”. E na segunda parte sobre a carreira do diretor aqui postada eu informo sobre o prequel de “Os Intocáveis”. No momento, Gerald Butler é uma alternativa para viver o Malone jovem, mas nas entrevistas de divulgação de “Guerra Sem Cortes” o diretor informa que ainda está à procura de um elenco apropriado.

    • Cassiano, tenho outros textos aqui para publicar, mas acho que alguns ficaram para o próximo aniversário, rs. Já estamos entrando em outubro e tenho que concluir algumas coisas antes de, finalmente, voltar a escrever resenhas de alguns filmes interessantes que andei assistindo.

    • Kamila, creio que, ao contrário de muitos diretores, muitos atores gostam de trabalhar com Brian De Palma porque é um cineasta que consegue deixar tudo sobre controle nos bastidores e nas horas das filmagens, além de ser muito atencioso e amigo. No período de filmagem de “Femme Fatale”, por exemplo, a Rebecca Romijn-Stamos chegou a declarar que era uma atriz inexperiente, mas que trabalhar com o diretor a fez amadurecer e que foi muito fácil. E vendo o resultado na tela, vemos que a atriz passou por um desafio e tanto!

    • Rafael, sem problemas. E muito obrigado pelo elogio. Esta deve ser a minha penúltima atualização do especial e amanhã trarei um TOP 10 com os meus filmes prediletos do diretor. Assim, espero que aumente o seu interesse em ver outros filmes do cineasta. Abraço!

  8. Alex, não sei porque seu comentário sumiu, na verdade nem cheguei a ver, certamente nós não apagamos, mas valeu a intenção.
    Aliás, parabéns por esse especial!

    Abraço
    Mateus

  9. Mateus, o comentário que escrevi sobre “Confidencial” foi bem pequeno, mas estranhei o porquê dele ter desaparecido. Com toda a certeza foi erro no meu (maldito) servidor, rs. E obrigado. Abraço e boa semana.

  10. Adoro a classe que De Palma tem. Independente do tema, por mais que o mesmo seja variado, ele sempre tem um charme de fazer seus filmes. Muito bom o trabalho, Alex!

    Abraço!

  11. Por esse post deu para perceber a enorme quantidade de atores talentosos com os quais o De Palma já trabalhou – ou mesmo ajudou a elevar suas carreiras, em boa parte dos casos…

  12. • Gustavo, se precisar de sugestões é só me procurar.

    • Alyson, concordo. Grato pelos parabéns, abraço!

    • Wally, fico contente pelos modestos textos estarem despertando este respeito. Posso dizer então que conclui uma grande missão! Abraço.

    • Vinícius, acho que muitos atores devem muito ao De Palma pelo que são hoje. Um deles é Robert De Niro.

  13. poisé e nem com o famoso james bond , o sir sean connery conseguiu sequer uma indicação, feito que só consegiu trabalhando com …brian de palma.

    falar em parcerias, Palma tinha idéias excelentes até testando atrizes, ve aqui
    http://forum.retrobits.com.br/viewtopic.php?f=38&t=1093

    …foi assim que nasceu a ideia para Duble de Corpo, durante testes com atrizes em dressed to kill

    realmente, só falta mesmo ele ganhar um Oscar um dia ou uma Palma de ouro pelo menos. motivo de tanta perseguiçao indicando-o ao Framboesa, mesmo no seu filme preferido do mestre, alex, é q ele mexe com as feridas dos americaninhos, tao puritanos e sem-vergonhas, malditos , tadinhos.

  14. Luan, eu já sabia sobre essa curiosidade acerca de “Dublê de Corpo”. E eu duvido que Brian De Palma venha algum dia receber um Oscar. Ele é aquele tipo de diretor que só irá ganhar reconhecimento depois de morto. É algo triste, mas é um fato que muitos irão presenciar em um futuro beeem distante, pois espero que ele viva por muito tempo ainda, rs.

  15. eu tb espero. é mais fácil o Leslie Nielsen receber um oscar q ele. e olha q eu tb torço pro leslie passar dos 100. ele é do tipo de ator despretensioso q eu amo ver seus filmes ^^

    mas, sinceramente, q não ganhe um Oscar honorário. isso é tão depre. o memso vale pra Oscar postumo. é tao tão tosco

  16. Luan, Leslie Nielsen é um barato! “Corra que a Polícia Vem Aí” é o que há! Mas vamos ver se nos próximos o Brian De Palma acaba se envolvendo em um projeto que lhe renda o merecido – e tardio – prestígio.

  17. Penso até que seria uma puta ousadia o Leslie Nielsen num filme do brian
    oO
    é sério! o cara fazia suspenses no inicio da carreira. já fez até um cafetão em Nuts-querem me enlouquecer. Imagina do q ela seja capaz!

    e Corra que a Policia vem aí tá pra sair o 4!!numa sátira que parece ser ao ultimo filme do Batmad

  18. Luan, daí acho que é meio exagero, mesmo sabendo que o Nielsen nem sempre foi esse comediante que a maioria hoje em dia conhece (morro de vontade de ver “A Morte Convida Para Dançar” só para ver qual é o papel dele!). Mas Nielsen + De Palma para mim ficaria estranho, rs. E sério que teremos mais um “Corra que a Polícia Vem Aí”??? o_O

  19. o papel do Nielsen não é bom em prom night. nem a jamie lee curtis tá bem. ele faz o diretor sério da escola onde ocorre os assassinatos. em nuts, embora apareça bem menos, ele tá melhor. já viu ele em poseidon?
    olha, pensa, qm imaginaria o john travolta tao bem num suspense? pra mim, foi uma parceria improvavel.
    e the naked gun 4:what?!
    vem aí sim^^
    o/

  20. Luan, eu assisti ao remake de “A Morte Convida Para Dançar” e achei um dos piores filmes do ano passado, senão o pior. Fiquei curioso sobre o que você disse sobre a Jamie Lee Curtis, pois este foi um dos vários filmes que a consagrou como Rainha do Grito. Mas eu verei, talvez este mês. E os personagens do Nielsen que conheço são todos cômicos. Tenho “O Destino de Poseidon” na prateleira, mas ainda não vi. E dei uma pesquisada no IMDb sobre este novo “Corra que a Polícia Vem Aí”, mas notei que o nome do David Zucker até o momento não está relacionado ao projeto. Uma pena! :-(

  21. mas o zucker tava envolvido em outro filme com o nielsen q vc odiou: o superhero! e ele tá mesmo pra dirigir o td mundo em panico 5. é a bola da vez dele. ;\

    mas eu me amarrei na proposta, mais sarcastica do q nunca!

    nossa! tu compra filmes e n ve?auhauhau

    sobre a jamie, ela só grita mesmo no Halloween. ela n grita tanto nos outros.
    só q a morte convida original é bem diferente, mas é sem graça igual. só me chamou a atenção o lugar chique q refilmaram prom night. a historia é podre memso

  22. Luan, de fato eu não gostei do filme, não gostei da história, mas o Leslie Nielsen ainda assim está hilariante em todas as suas cenas (especialmente naquela do enterro). E a Anna Faris disse no seu Twitter que “Todo Mundo em Pânico 5” de fato vai acontecer. Estou muito ansioso! E a minha prateleira é composta por muitos filmes que não vi (acho que não vi uns 65% de tudo o que tenho). Mas é porque aproveito muito essa onda das locadoras que estão falhindo. Como os preços são camaradas (geralmente os DVDs custam R$5,00) vou comprando tanto aquilo que já vi e adorei quanto aquilo que um dia de qualquer forma eu pagaria o preço do aluguel. E me falaram mesmo que “A Morte Convida Para Dançar”, a versão original, não é mesmo nada demais. Mas eu verei mesmo assim, adoro fitas do gênero da década retrasada. E para mim nem os cenários da refilmagem valem a pena, é muito ruim!

Opine!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s